domingo, 1 de agosto de 2010

As 10 capas de álbum mais gays da história

Fuçando no genial topito, um blog bacanérrimo, francês, me deparo com o super 'Top 22 des pochettes d’albums les plus gays', ou, no bom português, o top das 22 capas de álbuns mais gays de todos os tempos. Não podia deixá-los sem uma versão brasileira de tamanha pérola, tampouco sem os nossos comentários, escrotizando avaliando lógica e coerentemente esse material. Aqui, o link para a página do post original, e a seguir, a lista das 10 capas mais gays dentre a 22 originais, escolhidas a dedo pela alta cúpula do Torneiras, assim mesmo sem classificação; digamos que todas as dez merecem, juntas, ocupar a premiére das imagens mais gays já publicadas na história da indústria fonográfica, porque eu sinceramente não consigo distinguir qual é a mais ou a menos bee.


Me pergunto se na época em que esse ábum foi lançado havia algum contexto que justificasse o uso de um figurino três números abaixo do ideal pra esse rapaz, ou mesmo essa pose, provavelmente proibida em cerca de trinta países.
Alguém explica o que leva seis homens a se amontoarem desse jeito dentro de uma sauna como se ela já não fosse quente o suficiente? 

Bom, essa imagem fala por si só. Se duvidar, jogando 'Kevin Rowland' no Google, ele manda um 'você quis dizer Kelly Rowland'
O único que não parece a Xuxa Meneghel é o de cabelo preto. Até porquê esse é a cara de um traveco que faz ponto ali na Av. José Bastos.
'On the happy side', já no título do álbum deu pra sacar a vibe da parada. Sem mais.
Antes de mais nada, não é o Nicholas Cage. 
Não sei porquê, mas esses carinhas me remeteram aos Oompa-Loompas do Willy Wonka.
Só eu lembrei daquela música infame, 'Ele não monta na lambreta?'.

É o Prince. Sem mais.
Deixo dois questionamentos aqui. Então, a nudez artística dos caras aí é realmente apenas da cintura pra cima ou... o que vocês acham? O que o rapaz do centro está olhando com tanto interesse ali embaixo? Dissertem sobre.

0 comentários: