quarta-feira, 9 de junho de 2010

I know that we are young...

Há algumas semanas, um amigo me ligou dizendo que eu assistisse ao clipe de “Not Myself Tonight”, da Christina Aguilera. Estarrecido, ele achara que o vídeo era praticamente uma cópia de muita coisa que a Madonna já fez (“Human Nature”, “Express Yourself” e por aí vai). Tem quem diga que isso foi imitação, e tem quem acredite que foi inspiração, ou até mesmo um tributo à incontestável Rainha do Pop.

Eis que ontem à noite eu assisti ao tão falado clipe de “Alejandro”, a gripe suína do momento. Já havia visto e ouvido inúmeros comentários de gente que adorou o clipe, achou perfeito, visualmente lindo, uma obra de arte!


Depois de tanta tietagem acerca do clipe, praticamente parecia que eu tinha a obrigação de gostar dele, e é provável que muita gente concorde comigo – ou não! Ultimamente, existe quase um fervor religioso por parte dos fãs de Lady GaGa, devotos seguidores do senso comum. É ofensa mortal, hoje, criticar qualquer coisa que a ex-nova-Madonna faça.

No início da carreira, que não foi há tanto tempo, Lady GaGa era uma figura estranha e interessante, com ares de conceitual; e por isso tive esperanças de que ela iria trazer realmente algo novo para o cenário musical.

Hoje, Lady GaGa é o produto mais vendido da música pop – lucrativo, sem dúvida, mas carente de originalidade. O que antes parecia conceitual hoje é música descartável travestida de um visual grotesco, nada mais! Além disso, o que mais me irrita em gostar de Lady GaGa é seguir a modinha teenager. É muita febre, muito falatório, como se ela fosse o big bang do momento; mas cadê a novidade?

Por isso mesmo, tenho que falar sobre algumas coisas que percebi ao ver o vídeo de “Alejandro”. O clipe realmente tem um visual belíssimo e uma fotografia impecável, mas também tem seus problemas, principalmente pela edição, que é lenta e não acompanha o ritmo da música (chega a parecer que o clipe não foi feito para ela).

Entretanto, mesmo não tendo me empolgado com “Alejandro” (o clipe não é nem um pouco envolvente), vejo um aspecto extremamente positivo: pela primeira vez vemos um clipe de Lady GaGa que não é vazio, e realmente explora um tema.

“Alejandro”, a meu ver, mostra a oposição entre o sexo e a religião, o desejo e o receio (quem viu o clipe sabe que ele não mostra mui recato).

No entanto, os fãs mais novos ou mais esquecidos devem lembrar que uma certa cantora chamada Madonna, há mais de vinte anos, abordou essa mesma temática (de forma bem mais simples e cafona, claro!) em “La Isla Bonita”, clipe que foi praticamente um prelúdio bem comportado do que seria a combinação bombástica de sexo e religião em “Like a Prayer”, vídeo icônico da história da música.


Pode parecer que “Alejandro” e “La Isla Bonita” estão anos-luz de distância, mas quem tem uma percepção estética mais aguçada vai notar o mesmo tema, apenas em épocas e visuais distintos. GaGa deu seu toque bizarro e sombrio a algo que, com Madonna, era envolvente e instigante.

As referências à Rainha do Pop também estão no visual do clipe de “Alejandro”. Em alguns momentos, há visíveis semelhanças com “Express Yourself”. A fotografia e o figurino também lembram “Vogue” em alguns trechos, e até mesmo elementos da coreografia foram utilizados.

Não digo que o clipe de “Alejandro” seja ruim, mas é inegável que a genialidade de um artista está em nem ao menos se parecer com nada que já foi feito – e isso, caros leitores, só Kylie tem conseguido ultimamente, ainda mais com o estonteante clipe de “All the Lovers”.

Quem quiser comparar os clipes pode conferi-los logo abaixo:










13 comentários:

Anônimo disse...

tenho q discordar de vcem alguns pontos.Concordo q nem tudo é novo em Gaga. Acho q ela tá trazendo um jeito de fazer pop q foi deixado de lado. Tudo q vemos hj sempre vai ser cópia da Madonna- foi ela qm bombou primeiro, já imitando as The Slits. Tudo q é criado foi baseado em alguma coisa - fatos históricos, cultura etc. Não se faz alguma coisa do nada. E o q tem de novo em kylie, num clipe onde todo se esfrerga? Onde um cavalo branco branco anda solto numa rua? "Kings and Queens", 30 seconds to Mrs tá ai. Ass.: Francimar

Fernanda Érika disse...

Concordo com você na maior parte do post.Mas quanto a Kylie, não acredito que ela seja tão original assim.Lógico que eu não tenho embasamento suficiente para defender corretamente minha opinião, mas acredito que hoje em dia é praticamente impossível que alguém consiga produzir algo totalmente original...Nem mesmo a Kylie, quem dirá a Lady GaGa!

Gil disse...

Lindo! Não conseguiria me expressar melhor. Mas eu poderia escrever um texto, só comentando este assunto. Todos os conhecedores, mas quem conhece mesmo, a música POP, sabe do que você está falando.
estamos falando de inspiração, cópia e originalidade. Percebemos no NMT da Christina (ótima cantora e performer, mas não tão reconhecida como deveria, devido a um problema de modinha também, onde seu grande talento, na época, foi ofuscado por outra "loira" , que também os "fãs" não percebiam ou não queriam ver que a outra era apenas uma remontagem da primeira, ou ninguém se lembra de duas loirinhas fazendo "a sandy (Grease)" e que de repente Chris abala o mundo com o Hit Dirrty e o album Stripped, com uma versão puta de si mesma (até então, original), mas foi só uma pequena onda, porque o mundo percebeu mesmo foi o "its Britney Bitch!" que até ano passado tava rendendo na S&S da titia Madge!
Então, fugi do tema, mas o que eu quero dizer é que as coisas no mundo pop são estranhas, porque parece que originalidade não conta, e nesse caso citado em cima dessas duas "loiras" (prefiro o loira que cantora, logo sabem de quem estou falando, me dá dor de cabeça em pensar no que pode ter acontecido para que Chris não tenha conseguido o sucesso que merecia, porque não conseguido achar o motivo!

Gil disse...

Continuando... NMT foi, obviamente, uma homenagem a Madonna, sendo que desde a capa do single isso é perceptível. Mas talvez quem não ousa procurar e conhecer com certeza irá discordar de mim! E mesmo se Christina negasse, os fãs de Madonna teriam de pedir para que Christina fizesse outro clipe, logo o poder de Madonna está a todo o momento, nas roupas, cenário, bailarinos nesse clipe. E vocês ainda acreditam que eu vi uma comunidade em que tavam discutindo o quanto Christinna tinha copiado Bad Romance (?). Eu fechei o computador, tanta burrice me dói!
Acho que né nem burrice é cegueira! Gaga tem seu mérito, mas é mais ou menos como você disse é quase um pecado dizer que não gosta de alguma coisa que a Gaga faz! Gostei muito da Lady Gaga quando baixei o The Fame, pra vê quem tinha tomado o primeiro lugar de Single Ladies da Billboard (pra vê, Gaga veio depois de Single Ladies, parece até que Gaga tem o mesmo ou maior tempo de carreira que a Beyoncé, mas na realidade Gaga até hoje discputa com single ladies "se é que entendem o que eu quero dizer"). A Gaga nem é tão inteligente assim, como muitos pensam, ela só mostra o que público quer ver (ou não!) Ela choca "SÓ ISSO". O que ela tem de melhor do qualquer outra cantora? Música boa? Gosto é de cada um. Faz campanhas a favor dos gays? Cindy Lauper, Olivia Newton John e Kylie estão aí por muito mais tempo. eu só acho que Lady Gaga é boa, mas tem quem cante melhor, quem dance melhor, e quem tenha um show e campnhas melhores. Quanto aos clipes, realmente são clipes muito bons, mas já tá cansando, e como o maik disse quando ela tentou inovar com um clipe de conteúdo, não foi tao original. Quanto ao que disseram acima sobre originalidade. Até HOJE, NUNCA vi algo que Kylie tenha feito que tenha copiado outra cantora. Inspiração SIM, porque não copia, copia pra mim é lembrar, estou aqui assistindo um dvd da Madonna e vejo ela pulando corda, sem querer lembro-me automaticamente da Kylie na Fever de 2002. Como a Beyoncé subindo num robô que se abre, lembro da Kylie na mesma tour. Dizem "ah, mas a Beyoncé se inspirou no fime metropolis", sim, mas quem se inspirou primeiro. Assim como Madonna no clipe Material Girl, com aquele vestido e tudo, remete a imagem Marilyn Monroe cantando o clássico Diamonds Are a Girls best friend, assim como Kylie muito tempo depois performou a mesma música do mesmo jeito, isso nao é cópia, mas homenagem.
cara, se duas muheres na mesma época disputam um mesmo público, isso sim é cópia. Quando a cópia é tão descarada que não há como negar, aí é inspiração (?). E sim NADA, até hoje que eu vi, Kylie que tem quase o mesmo tempo de carreira que Madonna, eu vi Kylie copiar alguém(vi só um passo de dança no Light Years de 2001 que é igual do Vogue da Mad de 90). E a Beyoncé, fora o robô da Kylie também nunca vi. E Madonna, bom o que Madonna não puder fazer eu não sei quem mais pode! E Gaga, Espero que Gaga faça muitos clipes aida, adoro o Serginho do Pânico na TV... Gaga manda em você, e nao ouse não gostar do que ela faz, ela pode vim assombrar seus sweet dreams!
Eu fico por aqui! "uh! Lady Gaga"

Tulio Cobain disse...

Sem contar que no começo de Alejandro ela fica repetindo a mesma coisa sem parar. Sabe quem fazia isso? C O R O N A! Admiro muito a GaGa, mas ela não é esse caralho todo que todo mundo diz.

Helder disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maik disse...

Não sei se algumas afirmações do meu texto foram ambíguas, mas gostaria de esclarecer algumas questões que foram levantadas.
É claro que nenhuma ideia surge do nada; a obra de arte é fruto de um processo de criação.
Por isso, é óbvio que qualquer cantora (assim como todo artista) busca inspiração em algum lugar, criando uma nova obra.
Não disse que GaGa necessariamente copiou Madonna, mas sim que ela revitalizou elementos já utilizados pela primeira, bem como revisitou uma mesma temática.
É inevitável que haja coincidências, e que os mesmos símbolos sejam vistos em trabalhos diferentes (como foi citado o cavalo em "All the Lovers"). A diferença é o significado que cada artista atribui a um mesmo símbolo.
Além disso, o cavalo e a cor branca são símbolos universais; já a roupa e a coreografia da Madonna...

Maik disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helder disse...

quanto ao clipe da "lady do momento" no início até parece que vai bombar mas depois percebe-se que a edição é u ó matando por completo qualquer esperança de eu querer revê-lo...em alguns momentos até disfarça mas quando entra gaga com aquelas cruzes.. meu ovow!foi decepcionante o fato de gaga parecer meio vendida nesse clipe...ela não parece ela ...no fundo e analizando bem o clipe é só uma momtagem de um ensaio super bonito! e quem sabe nem tenha esse tal conteúdo todo mensionado pelo cruel e implacável Maik!

Thiago disse...

Assinado em baixo...

Anônimo disse...

Fico em dúvida se o tópico discute a originalidade de Gaga ou uma tal suposta originalidade de Kylie Minogue - e de outros artistas.
Ass: Fran

Gil disse...

Acredito que nosso amigo autor se referiu, principalmente, a pseudooriginaliade de Gaga. E que, ao contrário do que muitos afirmam, citou Kylie, porque foi o último clipe antes de Alejandro de grande repercussão no mundo POP. Clipe que não há, pelo menos, no meio pop, clipe anterior que possa classificá-lo como cópia, em nenhum sentido! Atrevo-me a dizer que realmente não foi muito feliz o autor do post ao citar Kylie Minogue, como sendo uma artista pouco conhecida aos leigos de plantão, isso não queira dizer que essa seja de irrelevante importância para a música, mas serve como argumento (?) para as pessoas que tenham o que argumentar!

Carlos, Carlinhos, Getúlio disse...

Eu não sei o que dizer... Na verdade, gostei muito do clipe, e como nunca fui atento, não percebi problemas na edição... Bem, as aproximações estéticas eu entendi - foi o que primeiro me veio à mente - como uma homenagem à Madonna, mas pode ser que seja apenas imitação em vistas lucro$... Ponto eu dou para a exploração da androginia, que vai ser o emblema desta década. Quanto a saber se a prima GaGa é original ou não, podemos morrer de especular agora, até porque, em assuntos de arte, vale mais a interpretação do que a crítica, penso que só o tempo nos dirá. Apenas os originais se consolidam e vivem para sempre, se não for original, mais cedo ou mais tarde se esquece...