quinta-feira, 29 de abril de 2010

Revolta contra Harry Potter

Cá estou eu pra invadir o blog com esse primeiro post. Previamente já aviso que sou lacônico e não consigo ser bem-humorado, então não espere nada divertido. Mas vamos ao que realmente interessa...

Ontem estava eu conferindo as escatologias diárias no twitter, e recebi alguns bombardeios nostálgicos do Potterish. Como eles estão se matando pelo trailer do HP7 (tentando até inutilmente colocar a tag #WBcadeHP nos trending topics), decidiram fazer um momento "retrospectiva", postando links para os teasers de todos os outros seis filmes.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Romantismo - contra-indicado em casos de TPM

Sabemos que toda mulher que se preze curte um carinha que tenha pelo menos um mínimo de romantismo para com sua amada. Respeitamos e admiramos os homens que demonstram tato ao lidar com uma mulher, mais do que aqueles que não o fazem. Porém, rapazeada romântica, devo adverti-los de que nem sempre seu trato carinhoso será bem recebido ou terá o efeito desejado sobre suas companheiras; a maldita TPM ('tenho pena dos machos') não me deixa mentir. Não que o mau humor feminino aflore apenas nessa fase; acontece que aí, a coisa piora exponencialmente. Fato.

Exemplos de situações que podem acontecer ao misturar romantismo + TPM:

Homem: 'Te dei o sol, te dei o mar pra ganhar seu coração'.
Mulher: Acha que vou te dar em troca de sol e mar? Tá querendo me comprar? Tá me chamando de prostituta? Acha que eu curto Luan Santana? Ein? EEEEIN?

Homem: Meu coração acelera, minhas mãos suam, fico com as pernas bambas perto de você.
Mulher: Sério? Melhor procurar um médico, pode ser ataque cardíaco!

Homem: Não paro de pensar em você, acho que estou apaixonado.
Mulher: Tá pensando que vai conseguir me levar pra cama com esse papo? Pensa que sou burra, idiota? EIN?

Homem: Você tá linda hoje!
Mulher: Quer dizer o quê, que nos outros dias eu estou um jaburu? Que eu sou feia e gorda? Ah, você prefere a Isolda, que é magra e bonita! É isso mesmo? EEEEIN?

Homem: Querida, hoje vou me atrasar.
Mulher: Ah é? Vai se encontrar com aquela messalina loira, a Isolda né? Sabia! Confessa logo desgraçado, vai!

Homem: Amor, comprei um presentinho pra você!
Mulher: Mas nem é meu aniversário! Já sei, me traiu com a Isolda e tá querendo se redimir, né, seu desgraçado! Pensa que eu sou burra? Hã?

Homem: Querida, trouxe aquele sorvetinho que você gosta!
Mulher: Mas você também, acha que eu só penso em comer, e que eu sou gorda e feia! Some da minha frente, leva essa droga de sorvete pra Isolda!



Tá saindo com a Isolda, né, safado?


Se sua amada anda loucadocudela assim, relaxa, meu bem, são os hormônios, logo passa. Ou, tenho más notícias e ela é mesmo uma megera. No mais, dou o sol e o mar pra o primeiro rapaz solteiro e romêntico quem me aparecer aqui com um antídoto eficaz pra TPM.

domingo, 25 de abril de 2010

Quando pobre quer inventar...

Olha só o que acontece quando pobre tenta ser "sofisticado":


15 anos literalmente quentes!

sábado, 24 de abril de 2010

Pérolas do Youtube - Chiru

Reservei para o post de estréia do 'Pérolas do Youtube' algo muito ridículo especial. Quase posso ouvir os murmúrios 'como eu pude viver até hoje ignorando a existência de algo tão primoroso?'. Se você tem mais o que fazer ao invés de ficar vasculhando a internet em busca de tosqueiras e bizarrices, saiba que nós somos um bando de desocupados saiba que nós, apesar de ocupadíssimos que somos, temos o dom de topar com todo tipo de miséria possível e imaginável. É pra isso que estamos aqui, gente amiga.

E nesta linda e adorável noite de Abril, Torneiras Voadoras orgulhosamente apresenta:
(TCHAM TCHAM TCHAM TCHAM)


CHIRUSexy. Absoluto.


quinta-feira, 22 de abril de 2010

Você está fazendo isso errado - Orkut



Odiado por alguns e idolatrado por muitos, o Orkut é um tema pra lá de chatinho e batido, mas não deixa de ser um tema pertinente, visto que estamos falando da rede social de maior sucesso da história da internet, pelo menos no Brasil.

E como em todo grande aglomerado de pessoas ('pessoas' em tese, se contarmos com o número de fakes e ghost users), encontramos por lá os mais variados perfis, alguns (muitos) realmente idiotas. Quase posso ouvir os murmúrios: 'Pô, o orkut é meu, sua besta, se tá ridículo o problema é meu, nem ligo!'. Problema seu, fato. Mas daí a dizer que não se importa com a opinião alheia sobre seu perfil... MENTIRA. Falando inclusive por mim, quem cria um perfil e publica algo na internet cria sim com o intuito de que alguém realmente veja aquilo, e tenha uma boa impressão ou pelo menos não ache por ridículo. Aprovação é necessidade humana, gente, não se apavorem ao desejar isso.

Para não cair em algum dos estereótipos que podem te incluir na faixa imbecil e alienada do orkut, ou, pra ser mais dramática, do mundo, observe alguns exemplos de coisas que podem pegar muito mal no orkut:

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Sério que o Saw VI é mesmo o último?

Bom Tarde. Aqui estou eu pronto pra o meu primeiro post decente pra coluna de Cinema do Torneiras.

Estou certo que vou ganhar muitos haters com a crítica que vou fazer, mas e daí? Quem pagou pra ver a porcaria do Filme foi eu, quem aguentou 1:30h de um filme ruim foi eu, então quem vier com mimimi não vai ter vez.

Não posso dizer que fui um grande fã, morto de amores pela série Saw. Gostei muito do primeiro filme, muito original e realmente interessante. Os outros continuaram na medida certa pra vender... Pecando na originalidade e compensando na escatologia. Até antes de ontem, o pior deles pra mim era o 3º. Com jogos sem graça, batido, completamente diferente do primeiro, que tinha tudo pra ser o início de mais uma ótima série de filmes.

Agora, depois de ter assistido o nº 6 (se arrependimento matasse...), o 3º parece ser um filme de Alfred Hitchcock.

Justiça seja feita. Não posso chegar aqui e só falar mal do filme, sendo que tem coisas a se elogiar. Como o final... Não sei se vale o sacrifício assistir um filme ruim, com atores mais ou menos, só porque o final é bom. Se serve de elogio, tirando o primeiro filme, o final desse último salvou a série.

Bom, acho que já taquei pedra demais. Bom parar por aqui, antes que algum fã do JigSaw resolva me sequestrar no caminho da faculdade hoje e me coloque naquele capacete que destroi a mandíbula.

Nota: 5,5

domingo, 18 de abril de 2010

Desventuras em série - O bêbado

Terça feira chuvosa, quase 07:00 da manhã, lá ia Miau, depois de cumprir com todo o seu ritual matinal, saindo pra mais um dia de faculdade e trabalho, com seu lindo guarda-chuva, muito serelepe pela rua. Rua essa que tava meio deserta, diga-se de passagem. A não ser por dois carinhas que bebiam, isso mesmo, BEBIAM cerveja na calçada de uma casa àquela hora da manhã em pleno início de semana, ainda por cima. Achei aquilo meio estranho, mas passei por eles e segui adiante. Fones no ouvido no volume máximo, pensando se ia conseguir não me atrasar pra aula, quando me salta do nada e sei lá de onde um dos bêbados de há pouco, e se enfia debaixo do meu guarda-chuva!


domingo, 11 de abril de 2010

Desventuras em série - O vizinho meliante

Hoje vou contar pra vocês uma linda e emocionante história de amor.
Mentira, vou mesmo é contar como foi o dia em que meu vizinho viciado, ladrão, sem vergonha e brega invadiu minha casa e... enfim.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Run, Jesus, Run! e mais

Está com tédio do feriado? Cansado de comer peixe porque sua mãe obriga? Feliz com o feriado só porque, afinal, é um feriado?

Tenha agora mesmo Jesus no seu coração!

Tá... no coração não, mas pelo menos divirta-se com ele!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Desventuras em série - O buraco

Não, não estou falando da série de livros de Daniel Handler que deu origem ao filme A Series of Unfortunate Events. Estou falando da minha vida mesmo, e das bizarrices que só acontecem comigo. Sabe, eu não tenho muitas superstições, aliás é famigerado meu posicionamento cético, assim como o hábito que eu tenho de questionar antes de aceitar alguma premissa. Mesmo assim eu tenho motivos pra acreditar que algumas pessoas nascem mesmo fadadas à má sorte, infortúnio, desventura, mau-olhado ou seja lá como queira chamar; o fato é que só pode ser alguma força estranha agindo em prol da sabotagem alheia.

As coisas que acontecem comigo não podem mesmo ser normais. Há quatro anos eu moro de aluguel numa casa de qualidade duvidosa, embora bem localizada. Ela é uma graça, é mais ou menos assim: